Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Flying Tangerine

MENU

23:30 na Almirante Reis

Trêza 28 Ago 16

Eu atrás dum Pokéstop.

Um todo o terreno preto sobe a Almirante Reis a abrir.

Um camião dos bombeiros desce a Rua de Angola e passa o sinal vermelho numa grande algazarra, mas a abrir.

Bum!

Quando parecia que acabava ali, os dois veículos rodopiam 45 graus. O ligeiro parou. O camião capotou. Um, dois, três trambolhões.

Parecia um video do iPhone, quando passa da velocidade normal para câmara-lenta.

A meio do último trambolhão, caíram da lateral do carro dos bombeiros umas cenas brancas. Pareciam caixas de primeiros socorros. Mantiveram-se direitas e voltaram a encaixar quando o camião acabou de cair.

Vou ligar para a 112.

Já vem ali a polícia.

Não desligue que vou passar ao INEM.

Já está ali a Polícia.

Então fique descansada.

A multidão aparece do nada. 

Os bombeiros saem do camião pelo vidro partido da frente.

Time to go home.

Perto da Portugália um carro dos bombeiros vem a descer a Almirante Reis a abrir. Certamente para acudir os outros.

Vê lá se também te espalhas ó caramelo!

3 comentários

De Pedro a 30.08.2016 às 14:21

Adoro que tudo começa com um "Eu atrás dum Pokéstop." :) Ainda bem que, apesar do mega-aparato, não foi grave (nem para ti nem para os acidentados).

De Trêza a 31.08.2016 às 09:27

Para dizer a verdade, na altura em que fui embora não fazia ideia de que os acidentados estivessem bem ou mal. De dentro do carro preto não havia sinal de vida, talvez estivessem atordoados. Os bombeiros a sair da cabine pelo vidro partido pareciam super-heróis a quem as impressionantes cambalhotas do camião não tivessem feito sequer um arranhão.

Mal o camião aterrou liguei 112 mas aos primeiros segundos se percebeu nem isso ser preciso pois a polícia do banco de portugal acudiu logo e os próprios bombeiros acidentados foram logo ao carro preto. Revisto o vídeo mental depois, os polícias vinham lá ainda o camião não tinha acabado as piruetas. Havia uma certa aflição de polícias e bombeiros à volta do carro preto. A minha ajuda não era precisa pelo que não fiquei para o mirone. Digamos que entre o aparato e eu seguir viagem devem ter passado uns dois, três minutos.

O facto de estar a aproximar-me de um Pokestop foi a última coisa inteligível que aconteceu, tudo o resto foi estranho. Até à Portugália ainda o meu coração estava acelarado e, à passagem do carro de bombeiros, a abrir que nem malucos, o meu grito foi genuino (embora mais vernacular que o descrito),

Ainda descubro coisas novas no vídeo mental do acontecimento, só não entendo o mecanismo (adrenalina?) que fez a espécia de paragem entre o embate e o camião capotar e que o mais parecido é mesmo o momento que os videos passam de velocidade normal para câmara lenta.

Curiosamente, quando cheguei a casa a descrição do acontecido ocorria-me tal como escrevi, e agora a responder-te tenho mais pormenores, do que vi e senti. Enfiim...

Uma cena ficou: carros de bombeiros a abrir fazem-me arrepios. É que os gajos passam primeiro e olham depois. Teria a fuga de água que iam tratar justificado passar um vermelho para atravessar a avenida àquela velocidade?

De artistasimpatica a 03.09.2016 às 05:21

Muitos parabéns pelo teu destaque!! Desejo-te um excelente mês de Setembro,tudo de bom para ti,fica bem!!

Comentar post

Pesquisar

Pesquisar no Blog