Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Flying Tangerine

MENU

Pokémon GO

Trêza 8 Ago 16

Pokémon_GO_logo.png

Um novo jogo na berra é notícia que passa por mim como se de qualquer outra moda se tratasse: ao lado. Mas apanhar comentários tão díspares como "vou apanhá-los todos" e "deviam morrer todos" deixou-me com a pulga atrás da orelha e fui cuscar.

Depois de uns minutos para download do Pokémon GO, registo na mesma e personalização do avatar - uma moçoila jeitosa que me representa no mapa - saí à rua para ver que pontos de interesse se encontravam nas redondezas.

Os pontos de interesse (importados do Ingress) indicam no mapa que ali se encontra algo digno de ser visto. Já descobri painéis maçónicos perto de casa nos quais nunca tinha reparado assim como descobri que vidrões com arte urbana foram removidos mas, no jogo, continuam a dar bolas. As mesmas que depois servem para apanhar bicharada.

Quando um pokémon aparece, aponto-lhe o telefone e vai de lhe atirar com a bola, uma e outra vez, até que esta o apanhe. Uma vez apanhado vai para a caderneta. Isto funciona porque moro no centro de Lisboa e ando muito a pé. Mas é preciso estar atento à bateria que isto gasta mais que eu sei lá.

pokemonGroup_rua.jpg

Basicamente, está descrito tudo o que faço: rodopio os pontos de interesse por onde passo e, quando o telefone vibra, vou ver que bicho me saltou ao caminho. Se for um morcego sigo viagem (são chatos de apanhar porque não param quietos).

pokemonGroup_atrium (1).jpg

Portanto, voltei a ter uma caderneta de cromos, que vou coleccionando sem mais pretensões que as de descobrir e apreciar o design das personagens, algo que já vinha fazendo noutras colecções, no Pinterest, e descobrir nos pontos de interesse pormenores que me escapavam à passagem pelos locais.

Seja nesta utilização básica, seja na caça ao mostro em jeito de geocaching (havia apps paralelas para isto antes da primeira actualização) ou na malta que "treina" os personagens para lutas nos "ginásios" espalhados pela cidade, não vejo motivo para o desdém com que algumas pessoas se referem ao Pokémon GO e aos seus jogadores.

Mesmo os palermas que causam acidentes ou os os anormais que colocam crianças em risco "para ir apanhá-los" não chegam para argumento. Porque esses já eram palermas e anormais antes do jogo.

Curiosa foi a forma como os mercados de capitais reagiram ao fenómeno que fez do Pokémon GO a app com mais downloads numa semana de sempre. Inicialmente, a ideia de que a Nintendo era a responsável pelo sucesso fez que as suas acções disparassem para, dias depois, voltarem a descer. Afinal, a Nintendo apenas detém 32% da Pokémon Company e tem participação na Niantic, empresa que de facto criou, detém e gere o jogo.

Se não conheces o jogo, vai experimentar que não morde. Ah e podes fazê-lo sem sair de casa ;-)

pokemonGroup_casa.jpg

Pesquisar

Pesquisar no Blog